Atualização da notícia de prisões por blasfêmia no EGITO

0

egito

Em maio e junho de 2013 nós pedimos oração para Demiana, uma professora cristã de Luxor acusada de insultar o Islã e seu profeta. 

No dia 11 de junho ela foi condenada e multada em 100 mil libras egípcias (cerca de R$ 35.000). Demiana e seus advogados apresentaram recurso.

A audiência de apelação prevista para 13 de janeiro de 2014 foi adiada para 23 de fevereiro e depois marcada para 23 de março. Em fevereiro, o advogado de defesa informou que o juiz concordou que o relatório da investigação conduzido pelo Ministério Público em maio 2013 poderia ser lida no tribunal.

O relatório pode ser indicativo da isenção de culpa de Demiana, observando que não há nenhuma evidência substantiva para apoiar as alegações feitas contra ela.

As queixas foram feitas por alguns pais e alunos a respeito de uma aula ministrada por Demiana no dia 8 de abril de 2013. Duas investigações independentes foram conduzidas, uma pelo conselho escolar (que representa os pais e professores) e outra pelo escritório local do Ministério da Educação. Em ambas não foram encontradas bases para a denúncia. Quando questionados, dez dos 13 alunos entrevistados afirmaram que as acusações eram falsas.

Entretanto, os advogados que representam os pais de um aluno foram para o Ministério Público e registraram uma queixa. A promotoria iniciou a sua própria investigação e Demiana foi detida em 9 de maio, até sua libertação, sob fiança, no dia 14, com o início de uma série de audiências durante as quais três testemunhas convocadas pela defesa tiveram negadas suas oportunidades de testemunhar. Demiana nega qualquer irregularidade.

Outro caso

Durante o ano de 2012, pedimos orações em prol de Gamal, indiciado sob as leis de blasfêmia do Egito e condenado a três anos de prisão no dia 4 de abril de 2012. Seu apelo foi rejeitado em maio de 2012. Temos o prazer de informar que em 21 de fevereiro de 2014 o ministro do Interior ordenou que Gamal deveria ser liberado. Isto seguiu-se ao apelo ao ministro feito pelo pai de Gamal.

Lembre-se que a aplicação mais rigorosa da lei de blasfêmia e de condenações duras durante 2012 e início de 2013 refletiu uma atitude de endurecimento da liberdade de expressão em algumas partes do Egito, especialmente para as comunidades cristãs. Esta atitude parece ter diminuído após a remoção do presidente Morsi. Além disso, o claro apelo da Igreja para o perdão das pessoas que pretendiam prejudicar a sociedade durante os eventos de verão de 2013 foi recebido calorosamente por muitos egípcios.

Os cristãos egípcios agradecem por nossas orações. E eles pedem que nossa intercessão continue pedindo que: 

* Demiana experimente a paz, a presença e a proteção de Jesus
* Demiana seja inocentada de qualquer irregularidade, e habilitada para retornar ao seu trabalho
* Gamal e outros egípcios condenados sob as leis de blasfêmia do Egito durante 2012 e 2013 tenham seus casos revistos e sejam absolvidos
* As leis e práticas sejam alteradas para conceder a todos os egípcios maior liberdade de expressão 
O currículo escolar seja reforçado para garantir a instrução equilibrada que respeite diversas tradições do Egito, que a discussão aberta de assuntos religiosos seja permitida nas escolas 
Aqueles que fizeram as acusações contra os cristãos tenham a convicção do pecado pelo Espírito, busquem o perdão do Pai e a vida nova disponível por meio do Filho 
Todos os funcionários envolvidos tenham misericórdia, ajam com justiça, aprendam sobre Jesus e escolham segui-lO.

_________________________
FONTE: Middle East Concern

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui