Estudantes que concorreram ao estágio da ADF/ANAJURE nos EUA falam sobre a experiência de participar do processo e sobre os desafios de ser um ‘Cristão do Direito num país torto’.

0

Os ganhadores do concurso já começam a se preparar para estudar num período intensivo de imersão nos EUA durante 9 semanas, em 2014, quando serão instruídos sobre: Sistemas Jurídicos, Jurisprudência, Direito Natural, Constitucionalidade, História do Direito, Teologia, Cosmovisão e Engajamento Cultural Estratégico a partir da perspectiva cristã.

21 site                                             FOTO: Isabela Emerick, Ana Sofia, Allan Augusto e Felipe Augusto. 

 

Após concorrer com acadêmicos de Direito do Brasil inteiro e passar por vários processos de seleção, quatro finalistas estiveram em Recife, neste mês de setembro, para a fase final do concurso Blackstone Legal FellowshipNa ocasião, os dois vencedores do concurso, Allan Augusto (SP) e Ana Sofia (RJ), juntamente com Felipe Augusto (PB) – pré-qualificado para a última etapa do Blackstone em sua próxima edição – e Isabela Emerick (ES) – que terá a oportunidade de fazer o curso Academic Legal, também da ADF e nos EUA; falaram em entrevista sobre a experiência de participar do programa e sobre os desafios de ser um cristão ligado ao Direito no Brasil.

19 SITEPara o Dr. Uziel Santana, presidente da ANAJURE, “é uma grande oportunidade que Deus está dando para nossa associação, de poder enviar seus membros que são estudantes para estudar num centro de excelência dos EUA. Eles terão a oportunidade de terem uma formação que muitos da minha geração, por exemplo, não tiveram, porque nas universidades brasileiras, em geral, a cosmovisão cristã é afastada das cátedras. Agradecemos a Deus e a ADF, na pessoa do seu Vice-presidente e Coordenador do Blackstone, o Dr. Jeferry Ventrella, por este convênio firmado. Este é apenas o primeiro passo de um longo projeto de formação acadêmica envolvendo a ANAJURE e entidades de grande potencial internacional como é o caso da ADF. Em breve, informaremos aos nossos juristas da ANAJURE outros projetos de formação como este.”. 

 

ENTREVISTA:

 

ANAJURE – Quais as expectativas de vocês quanto ao estágio nos Estados Unidos, e quais conselhos vocês deixam para os futuros candidatos das próximas edições do concurso?

ALLAN AUGUSTO: Creio que ser selecionado para “Blackstone Legal Fellowship” foi, antes de qualquer coisa, uma amostra clara da abundante misericórdia do Senhor, não apenas para com os dois selecionados, mas também para com nosso País. “Blackstone” é uma oportunidade incrível para os estudantes de Direito que vivenciarão um maravilhoso período de aprimoramento acadêmico e espiritual. Tenho certeza que através do estágio teremos a chance de crescer não apenas como juristas, acadêmicos de Direito, e profissionais, mas também como Cristãos, e digo mais especificamente como Cristãos do Direito em um mundo absolutamente torto e carente de princípios. Aos próximos candidatos deixo uma pequena, mas reconfortante recomendação: – “ORARE ET LABUTARE” (Orem e trabalhem!).  Vocês devem descansar no Senhor, confiar em seus caminhos e em sua imutável soberania, mas também devem perseverar nos estudos, no trabalho e na ampliação de sua cosmovisão baseada na ortodoxia da Doutrina Bíblica.

ANA SOFIA: Tenho altas expectativas. Acredito que o estágio me ajudará não somente em termos acadêmicos e profissionais, mas principalmente no meu crescimento pessoal, leia-se também: principalmente o espiritual.  Acredito que, durante a minha entrevista com o Dr. Jeffery, em Recife, o mais incrível foi meus olhos terem brilhado ao saber mais por dentro sobre o programa em si, e a possibilidade de poder ajudar a construir um mundo melhor, e, sobretudo, de expandir a palavra e o amor de Deus, através da profissão que escolhi. Para os próximos candidatos, aconselharia que eles tivessem interesse na causa cristã, proposta pelo Programa. Os amigos, o conhecimento dos seminários do último dia 18, e as discussões como um todo, resultam num saldo extremamente positivo pra mim.

ANAJURE: Como ganhadora do curso Academic Legal (Isabela), e pré-selecionados (Isabela e Felipe) para a próxima edição do blackstone no Brasil, uma vez que você foram reconhecidos pela ADF e pela ANAJURE como jovens preparados para o Programa, na visão de vocês, e pegando a deixa do livro do Dr. Uziel Santana, quais são os principais desafios enfrentados por um 'Cristão do Direito no país torto' chamado BRASIL?

ISABELA EMERICK: Os desafios para um operador do direito são muitos, mas quando nos posicionamos como cristãos do direito num país torto como o Brasil esses desafios se tornam ainda maiores. Nossas faculdades, nossa mídia e cultura atual, com a instituição do Estado Laico, estão pregando a abolição do cristianismo dentro do direito. Dessa forma, permanecer inabalável na fé diante de tantos posicionamentos e ensinamentos contrários é um tarefa árdua na formação do cristão do direito. Num país que tanto fala sobre a garantia e eficácia dos direitos humanos fundamentais, não podemos permitir que a nossa liberdade de expressão e de religião seja mitigada. Posto isso, para fazermos a diferença e garantir que os valores cristãos não sejam perdidos, mas sim efetivados, devemos nos posicionar como verdadeiros servos de Cristo levando a palavra por todo mundo em todos os campos de nossa vida, isso incluindo a nossa vida profissional e acadêmica. 

Conhecer novas pessoas e opiniões que vão além da teoria clássica contribui imensamente para o nosso crescimento intelectual, sobretudo para que possamos refletir cada vez mais sobre o rumo que nossa nação vem seguindo. Portanto, participar de uma associação como a ANAJURE e conhecer um pouco do trabalho feito pelo Blackstone Legal Fellowship são oportunidades incríveis para nós, cristãos do direito.

FELIPE AUGUSTO: Acredito que o principal desafio de um jurista cristão nos dias atuais é o de não se conformar com este mundo, com esta cultura jurídica, cujos princípios estão fundados no relativismo, materialismo, hedonismo e uma tentativa constante de afastar a sociedade da presença de Deus. Adicionado a isto, o jurista cristão tem o grande desafio de transformar o sistema jurídico em que está inserido, através de um firme posicionamento e uma defesa consistente dos princípios bíblicos, jamais desistindo de atuar como protetores da liberdade religiosa, da vida e da família.

Neste sentido, conhecer a ANAJURE e participar do processo do Blackstone foi um divisor de águas. Pude ver que não estamos sozinhos na batalha em favor da liberdade religiosa, da vida, da família e do casamento; e que é possível obtermos vitória, mesmo diante das graves ameaças ao exercício da fé cristã. Além disso, Deus encheu meu coração de esperança, visto que uma nova geração de juristas está sendo erguida, disposta a desafiar e transformar a cultura vigente, protegendo as liberdades civis fundamentais e resgatando a consciência moral aparentemente perdida.

___________
Por ANAJURE: Wanda Galvão l Jornalista e Secretária Administrativa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui