NEPAL – Nova Constituição representa ameaça à liberdade de religião no país

0

Nepal

A nova Constituição do Nepal, após sete anos de discussões parlamentares, pode determinar toda a atividade cristã como ilegal. O documento começou a ser redigido em 2008, dois anos depois da revolta maoísta que levou à morte de 16 mil pessoas no Nepal e pôs termo à monarquia hindu que durava há 240 anos.

Tentar converter alguém para outra religião já é proibido no Nepal, mas essas novas alterações propostas significariam que qualquer coisa percebida como "evangelístico" pode ser punível por lei.

Os cristãos temem que isso irá pavimentar o caminho para uma "cláusula anti-conversão" a ser escrito no código penal, o que poderia resultar em penas de prisão ou pesadas multas para os infratores.

No papel, as alterações propostas legalizam o mesmo para todas as religiões, mas nenhuma especificação é dada para o que constitui um "ato de converter" e, em um país onde 80 por cento da população é hindu. Os cristãos compõem entre 1,5 e 3% (um e meio e três por cento) da população.

A Igreja nunca foi reconhecida como uma instituição religiosa oficial dentro Nepal, e os cristãos nepaleses se queixam de que eles sofreram desigualdade e perseguição por décadas. Os cristãos tinham esperança de que uma nova Constituição consagrada pela nova democracia secular iria garantir a igualdade de direitos e liberdade religiosa para todos.

Manifestações da população

Várias manifestações contra a demarcações territoriais também estão ocorrendo no país, por pessoas que são contra a Nova Constituição, que pretende transformar o Nepal num Estado federal dividido em sete regiões. Os manifestantes estão contra a intenção do Governo de estabelecer novas fronteiras, acusando-o de discriminar as já historicamente marginalizadas minorias.

______________________________
FONTE: World Watch Monitor e Uol
TRADUÇÃO: Michael Monteiro l ANAJURE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui