O intenso êxodo de cristãos do mundo muçulmano

0

Por Raymond Ibrahim
 

CRISTÃO PERSEGUIDOS
 

Um intenso êxodo de Cristãos está atualmente acontecendo. Milhões de Cristãos estão sendo deslocados de um lado do mundo Islâmico para o outro.

Nós estamos revivendo a verdadeira história de como o mundo Islâmico veio a existir, e muito do qual antes das conquistas era quase que totalmente Cristão, .

A Comissão Internacional de Liberdade Religiosa dos Estados Unidos recentemente declarou: “A luta de Cristãos fora da região é sem precedentes e cresce a cada ano”. Em nossa época apenas, “Cristãos podem desaparecer do Iraque, Afeganistão e Egito”.

Contínuos relatos sobre o mundo Islâmico certamente apoiam esta conclusão: O Iraque foi o primeiro indicador do destino que espera os Cristãos, uma vez que as forças Islâmicas são liberadas dos punhos dos ditadores.

O ataque à igreja em Bagdá, no ano de 2010, em que quase 60 adoradores Cristãos foram mortos, é apenas a ponta de um iceberg de uma década.

Em 2003, a população Cristã do Iraque era de pelo menos um milhão. Hoje, são pouco menos de 400 000 remanescentes – o resultado de uma campanha anticristã que começou com a ocupação norte americana no Iraque, quando um número incontável de igrejas Cristãs foi bombardeada e muitos Cristãos mortos, crucificados ou decapitados.

Agora, uma vez que os EUA apoiam a jihad do presidente Sírio Assad, o mesmo modelo tem chegado à Síria: regiões inteiras e cidades, onde Cristãos viveram por séculos antes de o Islã aparecer, têm sido esvaziadas, e a oposição tem vitimado Cristãos com sequestros, saques e decapitações, tudo em obediência às orientações das mesquitas de que é uma obrigação sagrada se livrar dos Cristãos.

Em outubro de 2012, o último Cristão da cidade de Homs – que tinha uma população Cristã de cerca de 80 000 antes de o Islã dominar – foi morto. Uma adolescente Síria disse: “Nós fugimos porque eles estavam tentando nos matar… porque éramos Cristãos… Aqueles que eram nossos vizinhos ficaram contra nós. No final, fugimos, através das sacadas. Nós não podíamos ao menos sair na frente de nossa casa”.

No Egito, cerca de 100 000 Cristãos Coptas fugiram de sua terra natal logo após a “Primavera Árabe”. Em setembro de 2012, a pequena comunidade Cristã do Sinai foi atacada e expulsa por muçulmanos ligados a Al Qaeda, relatou a agência Reuters. Mas, ainda antes disso, a Igreja Ortodoxa Copta lamentou os “repetidos incidentes de retiradas dos Coptas de suas casas, seja por força ou ameaça. Isto começou em Ameriya (62 famílias Cristãs despejadas), depois se espalhou para Dahshur (120 famílias Cristãs despejadas), e hoje o terror e as ameaças alcançam os corações e almas de nossas crianças Coptas no Sinai”.

Iraque, Síria e Egito são parte do mundo Árabe. Mas, mesmo em nações da África “negra” e da Europa “branca” com maioria Muçulmana, os Cristãos estão fugindo.

Em Mali, após o golpe Islâmico de 2012, cerca de 200 000 Cristãos fugiram. De acordo com relatos, “a igreja no Mali enfrenta iminente desaparecimento”, especialmente no norte, “onde rebeldes querem estabelecer um Estado Islâmico independente e eliminar Cristãos… Lá tem havido busca de casa em casa por Cristãos que podem estar se escondendo. Igrejas e outras propriedades Cristãs têm sido saqueadas e destruídas, e pessoas torturadas para revelar seus parentes Cristãos”. Ao menos um pastor foi decapitado.

Até na Bósnia, Cristãos estão fugindo em massa, “em meio a crescente discriminação e Islamização”. Apenas 440 000 Católicos restam na nação, metade do que havia antes da guerra.

Os problemas citados são típicos: “enquanto dezenas de mesquitas foram construídas na capital da Bósnia, Sarajevo, nenhuma permissão foi dada para igrejas Cristãs”. “O tempo está acabando, uma vez que há um aumento preocupante no radicalismo”, disse uma autoridade, que depois informou ainda o fato de pessoas da Bósnia-Herzegovina serem “perseguidas por séculos” após os poderes europeus “falharem em apoiá-los na luta contra o Império Otomano”.

E a história se repete. E assim, por diante:

– Na Etiópia, após um Cristão ser acusado de profanar o Alcorão, milhares de Cristãos foram forçados a fugir de suas casas, quando “extremistas Muçulmanos colocaram fogo em 50 igrejas e dezenas de casas Cristãs”.

– Na Costa do Marfim – onde Cristãos têm sido literalmente crucificados – rebeldes Islâmicos “massacraram centenas e desalojaram milhares de Cristãos”.

– Na Líbia, rebeldes Islâmicos forçaram várias ordens religiosas Cristãs, servindo aos doentes e necessitados no país desde 1921, a fugir.

Para qualquer um que acompanha a luta de Cristãos sob perseguição Islâmica, nada disso é surpresa. Como eu documentei no meu novo livro, “Crucificado Novamente: Expondo a Nova Guerra Islâmica Contra Cristãos”, ao redor do mundo Islâmico – em nações que não compartilham da mesma raça, língua, cultura ou economia, em nações que apenas compartilham o Islã – os Cristãos estão sendo perseguidos até a extinção. Esta é a verdadeira face do ressurgimento do extremismo Islâmico.


___________
Fonte: FOX NEWS
Tradução: Jorge Alberto

* Fonte da imagem: ipco.org

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui