ANAJURE se reúne com Presidente Conselho Federal de Psicologia e traça metas de atuação conjunta

0

DSC_0178

Em março, o Conselho Federal do Psicologia recebeu em reunião uma comitiva de juristas da ANAJURE designada para trabalhar em defesa da liberdade de expressão de psicólogos cristãos no Brasil. A reunião sinaliza a abertura de um importante diálogo e o tema principal em pauta foi Resolução do CFP 01/99, que estabelece normas de atuação para os psicólogos em relação à questão da Orientação Sexual de seus pacientes. 

Um dos frutos desta visita foi a apresentação de um requerimento para que o CFP se posicione formalmente sobre a atuação dos profissionais de psicologia, com base na citada Resolução do CFP 01/99, especialmente quanto a atuação dos psicólogos que professam uma religião, no que tange ao direito constitucional de liberdade profissional e de crença (Veja aqui o requerimento em PDF). O Dr. Uziel Santana, presidente da ANAJURE, junto à Dra. Edna Zilli (Diretora de Assuntos Parlamentares da ANAJURE), Dr. Jonas Moreno (Diretor para Assuntos de Refugiados e Ajuda Humanitária da ANAJURE), Dr. Acyr de Gerone (Coordenador da ANAJURE/PR) e Dr. Fabrício Resende (Coordenador da ANAJURE/RS) foram recebidos pela presidente do CFP, Dra. Mariza Borges, e pela Gerente Técnica do CFP, Dra. Lislly Telles de Barros. 

"Visando contribuir juridicamente, a ANAJURE apresentou o requerimento para que o CFP possa fazer uma orientação interpretativa, confirmando que o psicólogo, seja ele de qualquer religião, tenha o direito e o dever, como profissional, de atender um indivíduo que tenha conflitos quanto à sua sexualidade e procure ajuda, seja ele homossexual ou heterossexual, para que isto seja trabalhado profissionalmente através de técnicas da psicologia. Com esta abertura de cooperação, ganha a academia, e ganham os movimentos que atuam em defesa dos direitos humanos e da liberdade religiosa. Tentamos buscar uma resposta para conflitos que surgem, muitas vezes, por conta de erros de interpretação, e que podem ser resolvidos com diálogo", disse o Dr. Uziel Santana. Outro tema em pauta na reunião foi a questão do internamento compulsório e as comunidades terapêuticas que trabalham com dependentes químicos. 

As duas entidades, CFP e ANAJURE, seguem em parceria de atuação e buscando diálogo, em defesa das liberdades civis fundamentais.

____________________
Por: Wanda Galvão l ANAJURE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui